Quer vender seu serviço como editor?

#1

Esse foi outro texto que já tinha publicado em outras redes sociais e no meu LinkedIn mas que acho válido trazer para cá a respeito de vender seu serviço de editor, algumas dúvidas sobre quanto cobrar, como juntar um portfólio para isso e etc. (lembrando que qualquer dúvida ou comentário pode me mandar mensagem)

PORTFÓLIO;

Não venda seu serviço de graça. Se sua pretensão for montar portfólio, tem muito podcast que procura editores voluntários, podcasts que não ganham com isso (ainda) e querem apenas produzir seu conteúdo e divulgar para as pessoas.

Se alguém tiver algum projeto já com algum lucro ou for um projeto vindo de alguém que esteja investindo nisso (Ex: Uma empresa quer começar um podcast) e te procurou pra saber se você edita ou consegue produzir esse podcast, procure saber sobre valores de produção.

Não venda seu trabalho de graça (nem o de outra pessoa, caso você esteja produzindo e vai atrás de um editor sem pagar ele pelo trabalho). Se alguém está lucrando com esse projeto, você tem todo o direito de ganhar algo com isso. Se for algum podcast que tem algum lucro mas procura voluntários para não serem pagos, procure pelo menos conversar o porque você não pode entrar nessa “divisão de lucros”.

VALORES;

  • Por profissão eu sou técnico de áudio, trabalho com mixagem, controle de qualidade, foley, sound design, edição de som e tal. Faço isso pra ganhar a vida e tudo mais e por isso quero ajudar a você que quer ganhar dinheiro com isso entender como cobrar pelo seu trabalho sem acabar com o mercado pra um dia quando você tiver um portfólio bom você não ficar sem trabalho porque alguém está cobrando menos ou nada.

  • Se você quiser vender um serviço de edição, o mínimo que você precisa ter é um portfólio. Você quer que as pessoas paguem pela sua edição? Então mostre o que você já editou, se você nunca editou nada, edite alguma coisa sua e mostre de portfólio pelo menos como exemplo. Procure podcasts que estão começando ou que estão procurando editores voluntários pra montar seu portfólio, mas saiba diferenciar um podcast que não vai lucrar com isso de alguém está investindo nisso.

  • “Edição de podcast” é muito genérico. Você pode simplesmente editar as vozes e pronto. Deixe explicado o que é essa edição de podcast (caso não queria poluir a imagem, deixe descrito fora dela) Você coloca trilha? Vai usar trilha-branca? Você tem esse banco de trilhas ou vai pegar de algum lugar de graça? (dependendo da proposta do podcast a pessoa pode não quer trabalhar com trilhas que cobrem royalty) Você cria vinhetas? Aberturas? Usa SFX de transição ou elementos sonoros durante o assunto? É importante saber o que o podcast que você está editando quer e o que você tem para oferecer.

Trabalhos de edição você pode cobrar da seguinte maneira (pra que você não saia prejudicado):

  • Edição/minuto de áudio bruto (estipule um valor X de edição por minuto de áudio enviado.)

  • Edição/hora de trabalho de edição (cobre um valor por hora de trabalho, deixe descrito, por exemplo, para um áudio bruto de 2 horas vamos supor que você leve 4 horas de edição. Então seu valor de edição pra esse trabalho vai ser 4x)

  • Preço fechado/Tempo de áudio bruto (Cobre valores fixos baseado no tempo de áudio bruto que você recebe, por exemplo, entre 20~40min seu valor é 1x. Entre 40~70min seu valor é 2x. Entre 70~120min seu valor é 3x etc…)

Lembrando que pra podcast você ainda pode estipular valores por número de participantes. Editar 1 hora de 2 pessoas falando e com 5 participantes é outra história, sem contar que a qualidade de todo mundo pode estar diferente, isso deixando claro o que é sua edição. se você só limpa e nivela as vozes, se você coloca trilha, faz uso de SFX e etc…

COISAS A SEREM LEVADAS EM CONSIDERAÇÃO AO COBRAR POR UM TRABALHO;

Número de Participantes + Duração do áudio bruto + Qualidade do áudio bruto + tipo de edição (só colocar uma trilha genérica de fundo; tem um tema e precisa ir atrás de músicas específicas; precisa ir atrás de trechos de filmes/séries; é um projeto comercial então precisa de música royalty free ou que paguem pela música; etc…) + quanto tempo você tem pra editar.

Eu não tenho como te dar um valor “médio” de quanto cobrar por cada coisa. Esse valor você meio que define a partir do quanto você acha que seu trabalho vale, sua experiência e a qualidade do seu trabalho. Levando em conta uma média de mercado já cobrada hoje em dia como base e o quanto isso influência na sua renda (você precisa editar pra comer? Pagar aluguel? Quanto é seu gasto por mês e quanto você precisa pra viver?)

Você precisa ter uma noção de qual é o trabalho pra saber o que ele vai exigir de você e quanto tempo você vai precisar pra isso pra que não fique no prejuízo. Não tem um valor aproximado pra cobrar pra editar algo porque podcast é algo que pode depender muito de cada projeto.

Eu fui editor do “Gente Que Escreve” por um tempo, levava uma média de 5~6 horas de edição (e isso que eram duas pessoas só) pra um áudio bruto de 2 horas. Nesse tempo eu fazia tratamento das vozes (EQ/Tirar ruído e tal), edição em si, trilha de fundo, ia atrás de trilhas específicas quando tinha a ver com o assunto (ex: Colocar o tema de Star Wars se o assunto fosse Star Wars) vinheta pra leitura de e-mail e etc. Fora que eram episódios semanais onde eu editava em um tempo livre. Se eu fosse cobrar por um projeto desses profissionalmente pra manter o cronograma deles de ser semanal e a qualidade final do episódio, sem pesquisar nada, eu não cobraria menos que R$100/Episódio. Porque seriam pelo menos R$400 a mais no fim do mês que tá dentro de uma média boa pelo tempo que eu levaria pra editar cada episódio e entregar dentro do prazo e eu já tenho um portfólio de trabalho pra mostrar a qualidade do que eu faço.

CONSIDERAÇÕES;

A base pra você fazer qualquer cálculo de quanto cobrar por um serviço é:

“Quanto isso vai me levar de tempo X Quanto meu tempo vale”

Existe esse pensamento de “oferecer por pouco pra pegar muita coisa e ter um lucro ok” ou até “vou fazer isso de graça pra ganhar visibilidade” mas pensa o seguinte: Se você faz de graça, quando você tiver portfólio pra poder cobrar pelo seu trabalho, o que impede de ter outra pessoa fazendo por um preço muito menor ou de graça? Esse tipo de mentalidade pode acabar com seu trabalho profissionalmente no futuro.

Por exemplo, quando eu pego freelas de áudio eu cobro por hora/trabalho que eu levo. Estipulo pelo menos como base pra que seja aberto um diálogo pra negociar qualquer coisa se for fazer um pacote ou preço fixo pra determinado cliente.

E lembrando, se você tiver alguma dúvida, procure conversar com pessoas na área, pergunte para outros editores o que acham e tudo mais. Eu, por exemplo, as vezes posso demorar pra ver mensagens por aqui, mas sempre me coloco a disposição de ajudar/tirar dúvidas no que eu puder quanto a isso, porque é minha profissão, trabalho com áudio há 10 anos e não quero ver isso desvalorizado profissionalmente.

5 Likes
Edição de áudio e vídeo
#2

Adorei o artigo, estou editando para uma familia de podcasts e confesso que estou um tanto sem base para cobrar referente ao meu trabalho. E gostaria de ler mais sobre o tema se possivel.

1 Like
#3

Dificilmente você vai achar qualquer leitura sobre o tema mesmo hahahahahaha eu não sei no geral quanto os editores de podcast cobram por isso. Eu, apesar de editar meus podcasts, só edito mesmo o RPGuaxa onde vendo esse meu serviço, mas por ser uma edição na questão de sonorização e etc (já que é um podcast de RPG) é diferente do que editar podcasts mais “tradicionais” hahahahahah então não sei o valor praticado por ai. E fora isso eu tenho mais familiaridade com hora/valor pra mixagem de outras coisas (dublagem, música, foley, etc)

A conta que editores profissionais fazem pra chegar no seu valor de hora é aquilo que coloquei no artigo: Quanto tempo você leva pra editar + Complexidade da edição = Seu valor de trabalho.

Tentando deixar um pouco mais didático, vou dar de exemplo aqui:

Você está editando um podcast com um host e 2 convidados de 1 hora onde seu trabalho é limpar o áudio de forma geral, colocar alguma trilha de fundo as vezes e as vinhetas do podcast. Ou seja o trabalho de fato é uma “edição simples” (por só ter uma trilha ou outra, não é uma edição muito dinâmica) com 3 participantes e áudio bruto de 1 hora.

Vamos supor que você vai levar 4 horas pra ter essa edição pronta (baixar os arquivos, montar a sessão, editar as falas, limpar pistas, colocar trilhas, exportar e mandar pro cliente)

Então você fez as contas que vai precisar de 4 horas do seu dia pra fazer isso e precisa descobrir quanto que vale a sua hora. Pra isso um dos jeitos mais simples que já vi recomendando por ai é você calcular baseado na sua vida, por exemplo:

Você paga R$1500,00 contando aluguel e compras do mês pra casa.

Pra você trabalhar até 8h/dia de segunda a sexta, quanto você precisa ganhar por hora pra conseguir pagar esses R$1500,00 no fim do mês?

E partindo disso você chega num valor médio pra sua hora de edição.

Ai é óbvio que dependendo da complexidade da edição e do valor que você dá pro seu trabalho (você já edita faz tempo, confia no trabalho que você faz e sabe que entrega algo de ótima qualidade) você pode subir esse preço. Então você pode pensar que aquela edição que você leva 4 horas pra editar, você chegou num resultado que sua hora/edição vale R$50/hora. Então você fecha uma edição dessas por R$200,00/episódio.

Lembrando que isso é um exemplo, não são de fato valores praticados por ai. Minha recomendação é você conversar com outros editores dispostos a divulgarem uma tabela de preço pra você manter seu preço dentro de uma média de mercado.

1 Like
#4

Entendo totalmente o seu ponto aqui e é uma coisa que eu já pensei quando fui mandar o meu orçamento para edição de um podcast uma vez, “Será que o meu preço por hora é justo o suficiente!?” mas eu sempre fiquei pensando se os grandes editores de podcast do país, cito aqui o Léo Lopes e o Caio Corraini como exemplo, estariam dispostos a conversar sobre tabela de preços e tudo mais para poder equiparar o meu serviço com a média nacional.
Dito isso, o quanto é o seu valor/hora? :smile:

1 Like
#5

Então, é que eu não sou exatamente editor de podcast hahahahahahaha eu edito o do Guaxa e com ele eu faço um valor diferente da minha hora de edição (já chego lá) porque eu resolvi fazer uma permuta levando em conta a visibilidade e downloads que ele tem onde nos episódios que eu edito eu tenho uma assinatura que vai no final do episódio onde posso colocar um teaser de um áudio drama meu e dizendo onde os ouvintes podem me encontrar além de poder fazer jabá do meu trabalho no grupo dos padrinhos dele. Pra mim achei mais vantajoso do que cobrar um valor cheio por edição.

O meu valor que eu pratico é mais voltado pra mixagem de música, edição de foley, edição de som em audiovisual, mixagem de dublagem, edição de audiobook e etc. e meus valores base vão de R$50/hora até ± R$150/hora. Mas eu acho importante frisar que eu nunca montei um valor tabelado pra edição de podcast porque eu não tenho interesse em pegar esse tipo de edição por enquanto. Esses valores são em cima do que já trabalhei e praticamente 90% disso no audiovisual. E eu sempre levo em conta a qualidade do trabalho que eu entrego, experiência profissional que tenho e tudo mais.

Por que eu usei “valores base” ali em cima? Basicamente porque cada trabalho é cada trabalho e cada cliente é cada cliente. Por exemplo, sempre cobrei mais barato pra fazer edição de som em trabalho de TCC, trabalhos de faculdades e etc. Ao mesmo tempo que pra clientes mais profissionais eu sempre costumo jogar o meu valor máximo e negociar em cima disso e por ai vai.

Se eu fosse montar um valor pra editar podcasts, eu iria em cima, principalmente, de algumas coisas que citei no artigo original: Complexidade do trabalho (é só colocar uma trilha de fundo e limpar as vozes? ou tem vários cortes, inserts de músicas/trechos de filmes) + Duração do episódio + Quantidade de participantes + qualidade do material recebido. Em cima desses itens eu faço um cálculo mental de quanto eu tempo eu gastaria pra editar o produto inteiro, vejo a demanda (é semanal? quinzenal? mensal?) porque dependendo da quantidade, talvez compense um valor um pouco menor do que seria a minha hora de edição se fosse praticamente um dinheiro garantido no mês.

Se você quiser somar algumas coisas no que você pode ter de base pra calcular o seu valor de trabalho/hora, conta equipamentos que você usa, valor do headphone que você comprou, de programas pra editar, de licença de trilha-branca que você gastou, seu portfólio e etc hahahahahha

2 Likes